Nova VBR com função Cap - Otimize sua utilização de banda

VIVOTEK reúne o melhor de codificação de vídeo com taxa de bits constante e variável

Soluções de Largura de Banda

Largura de banda de rede é um dos fatores mais difíceis de gerenciar em um sistema de vigilância, uma vez que é geralmente difícil de definir escala, inclusive porque câmeras IP de alta resolução transmitem cada vez maiores quantidades de dados através da rede. Assim, o interesse por melhor qualidade de imagem em vídeo de vigilância deve estar equilibrado com a largura de banda de rede adicional que será consumida. VIVOTEK desenvolveu uma variedade de soluções - como corte (cropping), armazenamento na câmera e tecnologia de Atividade de Fluxo de Vídeo Adaptável - para ajudar os clientes a obter a melhor qualidade de imagem possível enquanto conserva a largura de banda da rede.

CBR vs. VBR

Uma das abordagens mais poderosas para conservar a largura de banda da rede é através da aplicação de uma taxa fixa de bits em vídeo codificado chamada de taxa de bits constante (CBR). Com a codificação CBR, a quantidade de largura de banda necessária para a transmissão de vídeo é previsível, tornando mais fácil para os administradores de sistema gerenciarem os recursos e planejarem atualizações. A desvantagem da codificação CBR é que quando a complexidade visual de uma visão aumenta, por exemplo, quando uma pessoa de interesse aparece ou quando aumenta-se a quantidade de tráfego em uma interseção monitorada, a qualidade de imagem e/ou a taxa de quadros devem ser reduzidas a fim de manter a taxa de bits sob o alvo. Infelizmente, o aumento da complexidade visual normalmente sinaliza um evento potencialmente importante, significando que quando o vídeo de qualidade superior seria mais útil, a qualidade é reduzida.

A taxa de bits variável (VBR), por outro lado, permite que administradores estipulem um nível predefinido de qualidade de imagem para ser mantido, independentemente da complexidade da cena. Isso é muitas vezes desejável em aplicações de vigilância onde há uma necessidade de maior qualidade de imagem quando ocorre movimento na exibição. Um efeito secundário, no entanto, é que o consumo de largura de banda irá aumentar quando existir um elevado grau de atividade e diminuirá quando houver menos atividade. Já que a taxa de bits pode variar, a infraestrutura da rede deve fornecer suficiente largura de banda disponível para acomodar a taxa máxima de bits, tornando a gestão de recursos potencialmente difícil.

Nova VBR da VIVOTEK com função Cap

Para oferecer aos clientes as vantagens das codificações CBR e VBR, minimizando as suas desvantagens, VIVOTEK desenvolveu uma nova versão de sua tecnologia de codificação VBR. Efetivamente, esta nova tecnologia de codificação funciona como VBR com a função cap, ou seja, os administradores definem um limite superior para taxas de bits permitidas, mas a taxa de bits é livre para variar de forma a acomodar alterações na complexidade da visão. Porque a taxa de bits do vídeo codificado e, portanto, a largura de banda necessária para a transmissão têm a garantia de não ultrapassarem o limite preestabelecido, é mais fácil gerenciar os recursos da rede.

Exemplo:

Sob configuração de qualidade fixo (VBR), a taxa de bits do fluxo varia com a complexidade da imagem, mas ficará abaixo de 6 Mbps, de modo a ajudar os instaladores a planejar a largura de banda e o sistema de armazenamento.

Benefícios

Nova VBR da VIVOTEK com função Cap é ideal para aplicações onde a complexidade visual do local monitorado varia ao longo do tempo, tais como tráfego rodoviário, estabelecimentos comerciais e estações de trem. Para garantir que qualidade de imagem suficiente estará sempre disponível, a função Cap pode ser configurada mais alta ou mais baixa para economizar largura de banda de rede. O resultado é uma melhor utilização das capacidades de alta resolução da câmera, ao mesmo tempo que o consumo de largura de banda fica mais previsível, auxiliando na instalação, administração e operação do sistema de vigilância como um todo.